Existe uma ligação entre música e felicidade?


Os estudos neurológicos da música no cérebro parecem indicar que estamos programados para interpretar e reagir emocionalmente a uma peça musical. De fato, esse processo começa muito cedo. Um estudo descobriu que bebês com cinco meses de idade reagiram a canções felizes, enquanto em nove meses eles reconheceram e foram afetados por canções tristes.

Estados fisiológicos provocados pela música só se intensificam à medida que crescemos. Música alegre, geralmente com ritmo rápido e escrita em uma tecla maior, pode fazer com que a pessoa respire mais rápido, um sinal físico de felicidade.

Da mesma forma, a música triste, que tende a ser nas teclas menores e muito lenta, provoca um abrandamento do pulso e um aumento da pressão arterial. Isso parece indicar que somente a música feliz é benéfica, mas aqueles que sabem o valor de um bom choro ou de uma liberação catártica podem achar que a música triste ou raivosa pode trazer a felicidade indiretamente.

Saber que a música tem esse impacto no corpo pode eventualmente influenciar o tratamento e cuidar de uma grande variedade de pacientes. Por exemplo, descobriu-se que a música impulsiona o sistema imunológico dos pacientes após cirurgias, diminui o estresse em mulheres grávidas e diminui a pressão arterial e a frequência cardíaca em pacientes cardíacos, reduzindo assim as complicações da cirurgia cardíaca.

Pesquisadores da Cal State University descobriram que as crianças hospitalizadas eram mais felizes durante a musicoterapia, na qual podiam experimentar maracas e sinos enquanto um líder tocava violão, do que durante a terapia de brincadeiras, quando suas opções eram brinquedos e quebra-cabeças.

A musicoterapia também provou ser mais eficaz do que outros tipos de terapias em pacientes que sofrem de depressão, e tem sido demonstrado que reduz os níveis de ansiedade e solidão em idosos.

Você não precisa ficar doente, porém, para se beneficiar da diminuição do estresse e do aumento da felicidade que a música pode trazer.

A música ao vivo pode ser o gatilho de felicidade mais potente, porque fornece uma maneira de forjar laços sociais. Quando você entra em uma sala com pessoas que gostam da mesma coisa que você, você pode criar mais amizades, um fator comprovado na busca pela felicidade!


Fonte: science.howstuffworks.com

Clube da Música - Daniel Imenes & Cia.: Escola de Música no Recreio, RJ.

Posts Em Destaque
Posts Recentes