Chiquinha Gonzaga


Chiquinha Gonzaga (Rio de Janeiro, 17 de outubro de 1847 — 28 de fevereiro de 1935) foi a primeira chorona, primeira pianista de choro, autora da primeira marcha carnavalesca com letra ("Ó Abre Alas", 1899) e também a primeira mulher a reger uma orquestra no Brasil.

A educação musical fez parte da vida de Chiquinha Gonzaga desde sua infância. Ainda criança ela teve aulas de piano com Maestro Lobo, um fenômeno da música, e, desde cedo, frequentava rodas de lundu, umbigada e outros ritmos oriundos da África. Iniciou aos 11 anos sua carreira de compositora com uma canção natalina.

A necessidade de adaptar o som do piano ao gosto popular valeu a glória de tornar-se a primeira compositora popular do Brasil.

Sua primeira composição de sucesso foi a polca "Atraente", editada em 1877. Nascida de uma roda na casa do compositor Henrique Alves de Mesquita, "Atraente" se tornou um clássico da música instrumental brasileira, passando a integrar o grande repertório de choro. Foi regravada por diversos artistas incluindo como Pixinguinha. A partir da repercussão dessa composição impressa, resolveu lançar-se no teatro de variedades e revista e estreou compondo a trilha da opereta de costumes "A Corte na Roça", de 1885. Neste mesmo ano, Chiquinha Gonzaga tornou-se a primeira mulher maestrina brasileira. Quatro anos mais tarde, ela regeu, no Imperial Teatro São Pedro de Alcântara, um original concerto de violões, promovendo o instrumento que, na época, ainda estigmatizado.

Durante o carnaval de 1899, Chiquinha Gonzaga compôs a música que marcaria a cultura brasileira dali em diante. Ela estava em casa, no Andaraí, bairro na Zona Norte, assistindo ao ensaio do cordão Rosa de Ouro, quando teve a inspiração para criar "Ô abre alas". Essa foi a primeira marchinha carnavalesca com letra que se tem notícia: até então, salões da alta sociedade tinham festas embaladas por polcas, valsas e quadrilhas, e nas ruas o povo se divertia ao som de baterias cadenciadas e músicas como cantigas de roda. Chiquinha Gonzaga fixou, ali, um novo gênero que daria personalidade ao carnaval brasileiro.

Por volta de 1900 conhece a irreverente artista Nair de Tefé Von Hoonholtz, a primeira caricaturista mulher do mundo, uma moça boêmia, embora de família nobre, da qual se torna grande amiga. Chiquinha viaja pela Europa entre 1902 e 1910, tornando-se especialmente conhecida em Portugal, onde escreve músicas para diversos autores.

Em 1911, estreia seu maior sucesso no teatro: a opereta Forrobodó, que chegou a 1500 apresentações seguidas após a estreia - até hoje o maior desempenho de uma peça deste gênero no Brasil.

Ao todo, Chiquinha Gonzaga compôs músicas para 77 peças teatrais, tendo sido autora de cerca de duas mil composições em gêneros variados: valsas, polcas, tangos, lundus, maxixes, fados, quadrilhas, mazurcas, choros e serenatas.



Fontes: Jornal ggn | Chiquinha Gonzaga, Almanaque da Folha SP.

Clube da Música - Daniel Imenes & Cia.: a escola de música no Recreio, RJ.


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square